REGIÃO Natasha Rodrigues

Médico é Demitido Após Denunciar Superlotação

Hospital de Marília nega relação da demissão do médico com postagem de vídeo

Um médico postou um vídeo na semana passada mostrando a situação de superlotação da ala de pronto-socorro do Hospital das Clínicas em Marília.

Médico é Demitido Após Denunciar Superlotação

Em seguida, após a repercussão da denúncia nas redes sociais, o profissional foi demitido.

O Conselho Regional de Medicina (Cremesp) foi acionado e diz que vai investigar o caso.

Em nota, a Famar, fundação privada que gerencia o HC, no entanto, negou que a demissão tenha qualquer relação com a divulgação do vídeo.

As imagens foram feitas pelo médico Ricardo Cruz de Rezende Paoliello.

Segundo ele, as pessoas que estavam na enfermaria lotada do PS pediram a ele alguma ajuda.

Além disso, Paoliello afirmou ainda que entende a demissão como um fato “normal”.

“Naquele dia tinha muitas famílias em sofrimento, me puxando pra pedir ajuda, e entendi que o que eu podia fazer por eles era denunciar aquela situação.

Fui demitido porque trabalhava para uma empresa terceirizada que tem o direito de mandar embora o trabalhador quando ela quiser”, disse o médico.

Superlotação

A superlotação no HC de Marília é uma reclamação antiga dos pacientes, mesmo após inauguração de uma nova ala de urgência e emergência em maio do ano passado,
quando a estrutura foi triplicada ao custo de R$ 6 milhões.

De acordo com o Sindicato dos Empregados da Saúde de Marília existe uma defasagem de pelo menos 30% no quadro dos funcionários de todo o complexo do qual o HC faz parte.

Atualmente, a instituição conta com 2,4 mil funcionários.

O Cremesp informa que abriu sindicância e está investigando tanto a conduta do profissional como a situação do hospital.

Segundo Leandro Presumido Júnior, delegado da Regional de Marília do Cremesp, todo esse processo deve durar de seis meses a um ano.

Em nota, o Departamento Regional de Saúde (DRS) de Marília informou que o pronto-socorro do HC funciona de “porta aberta”,

Portanto, atendendo a demanda espontânea de pacientes de toda a região, bem como casos direcionados por demais serviços da rede.

A nota diz ainda que, por ser referência para 62 municípios, “pode ocorrer eventual sobrecarga de demanda no HC”, mas que, “mesmo assim, não há qualquer desassistência”.

 

Vector News | Informações G1

Sobre o autor | Website

Redatora, 23 anos, reside em Barra Bonita. Atuou em diversas áreas do Jornal Impresso, além de Produção de Vídeo, Gestora de Mídias Sociais e Colunista Social, posteriormente em Revista Local, hoje, Consultora em Marketing e Redatora na Vector News.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!