BRASIL Débora Helene

Horário de verão pode acabar

Segundo o diretor geral da Aneel – Agência Nacional de Energia Elétrica, Romeu Rufino, o horário de verão não é mais justificável para economia de energia no país.

Uma informação nesse fim de semana, do Governo Federal, deu conta de estudos feitos por setores ligados ao setor elétrico de que a adoção da hora adiantada não resulta mais em economia de energia. Isso acontece porque a temperatura no dia é quem determina o consumo e não a incidência de luz. Atualmente, os picos de consumo ocorrem entre as 14h e 15 horas e não mais entre 17h e 20 horas, como quando o horário passou a valer.

Enquete

Nesse ano, o governo decidiu manter o horário de verão para 2017. Com isso, os relógios devem ser adiantados em uma hora, nos 10 estados da região Sul, Sudeste e Centro-Oeste e mais o Distrito Federal. O horário de verão esse começa no dia 15 de outubro e acaba em 19 de fevereiro de 2018.

Mesmo assim, é grande a possibilidade do Ministério de Minas e Energia consultar a sociedade para o próximo ano, visto que a sensação de ter mais uma hora de claridade influencia no movimento do comércio e nas atividades ao ar livre.

Histórico

O horário de verão foi instituído no Brasil pelo Presidente Getúlio Vargas, no verão de 1931/1932. Depois disso, a medida foi tomada de forma não consecutiva e voltou em 1985, prevalecendo em todos os verões a partir de então, durando em média 120 dias.

 

Vector News | Por Débora Helene

Sobre o autor | Website

Jornalista, formada pela FIJ - Fundação Dr. Raul Bauab , 28 anos, nasceu em Jaú, reside em Igaraçu do Tietê. Atuou como Assessora de Imprensa na Câmara Municipal e jornalista em dois jornais impresso, hoje, jornalista freelance em Revista Local e na Vector News.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!