REGIÃO Natasha Rodrigues

Empresas Se Sentem Injustiçadas Por Multa Imposta Pelo STF

Injustiçadas por multa imposta pelo STF, empresas recorrem

Empresas injustiçadas por multa imposta pelo STF, pelo bloqueio na greve dos caminhoneiros avaliam multas como “absurda” e “injusta”.

Empresas se sentem injustiçadas por multa imposta pelo stf

Três transportadoras do Centro-Oeste Paulista incluídas na lista de empresas que teriam contribuído
ou participado da greve dos caminhoneiros consideraram como “injustas” e “absurdas” as multas.

Multas foram aplicadas com base em decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que autorizou a punição e o uso das forças para o desbloqueio de rodovias.

Na região, são duas empresas de Marília e uma de Macatuba.

Uma das transportadoras marilienses foi multada em R$ 9,4 milhões e as outras duas receberam autuações de R$ 400 mil.

No total, o valor chega a R$ 10,2 milhões, só na região.

No país, o montante de inflações já alcança R$ 339,5 milhões.



Além disso, a pedido do governo, o ministro Alexandre Moraes, do STF, impôs multa de
R$ 100 mil por hora às entidades que atuaram nas interdições de vias, além de multa de R$ 10 mil por dia para motorista que obstruiu a pista.

Empresas tem 15 dias para pagar

Na última quarta (30), Moraes deu prazo de 15 dias para as empresas pagarem a multa como resultado, sob pena de penhora de bens.

No entanto, em nota, a empresa Ghelere Transportes, de Marília, informa que
“jamais participou de qualquer paralisação” e que recebeu “com surpresa” a inclusão de seu nome na lista.

A nota diz ainda que considera a medida como “desproporcional e ilegítima”, e que também é uma “vítima da situação”.

A Ghelere, que recebeu a multa de R$ 9,4 milhões, informa ainda que vai comprovar na Justiça
que também foi prejudicada e que espera o bom senso da AGU (Advocacia Geral da União) e do STF na revisão da medida.

Já a empresa Paulo Tsuyoshi Okuma, de Marília, multada em R$ 400 mil por um caminhão
que ficou parado em bloqueio na Rodovia Régis Bitencourt, afirmou em nota considerar “absurda” a decisão.

No entanto, segundo a empresa, o motorista foi coagido a ficar no bloqueio.

A empresa, que possui sete caminhões, disse não possuir condições de pagar esse valor.

A reportagem não conseguiu contato com a empresa de Macatuba que também aparece na lista com multa de R$ 400 mil.

 

Vector News | Informações G1

Sobre o autor | Website

Redatora, 23 anos, reside em Barra Bonita. Atuou em diversas áreas do Jornal Impresso, além de Produção de Vídeo, Gestora de Mídias Sociais e Colunista Social, posteriormente em Revista Local, hoje, Consultora em Marketing e Redatora na Vector News.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!